The Center For Disease Dynamics, Economics & Policy

Metodologias

Revisão das Directrizes de Tratamento Padrão Nacional Existentes e Dados de Resistência a Antibióticos

 

Conduzimos uma revisão para identificar e obter directrizes de tratamento nacionais ou padrão (STGs) existentes para o tratamento de doenças infecciosas comuns em todos os Estados-Membros da UA. Revimos os sites do Ministério da Saúde (MISAU) dos Estados-Membros da UA ou de agências governamentais nacionais equivalentes para os STGs relevantes publicados em qualquer língua antes de Março de 2019 e contactámos os pontos de foco no país para assistência na identificação de quaisquer STGs existentes que não estivessem prontamente ou aparentemente disponíveis.

 

As directrizes foram incluídas para uma revisão final apenas se contivessem recomendações de tratamento específico para doenças ou patógenos e se as recomendações do regime antibiótico incluíssem nome específico ou tipo de antibiótico, dosagem e duração da terapia antibiótica. Foram excluídas as directrizes que abrangem exclusivamente o VIH, malária, TB e outras infecções ou síndromes abordadas pelos programas nacionais ou verticais de controlo de doenças em África.

 

Foi identificado um total de 28 STGs relevantes de 17 países e cumpriram os nossos critérios de inclusão; vários países tinham mais de um STG publicado.

 

Uma biblioteca com as diretrizes está disponível aqui.

 

Das 28 directrizes, 24 foram publicadas em inglês e 4 foram publicadas em francês. O ano de publicação (ou última actualização) variou entre 2001 e 2018/19. Vinte directrizes forneceram recomendações de tratamento tanto para populações de pacientes adultos quanto pediátricos, 5 forneceram apenas directrizes específicas para adultos e 3 forneceram recomendações apenas pediátricas (Tabela 1).

 

Revimos cada uma das 28 directrizes e compilámos informações sobre os tipos de infecções e síndromes clínicas incluídas e sobre as recomendações de terapia antibiótica para cada uma delas, incluindo selecção e dosagem de medicamentos de primeira e segunda linha, duração da terapia e princípios de administração. As selecções de agentes antibióticos da Lista Modelo de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial da Saúde (OMS) (MLEM, 21.ª Lista, 2019) e MLEM para Crianças (7.ª Lista; 2019) também foram compiladas e utilizadas para ajudar na avaliação da disponibilidade de medicamentos em todo o continente.

 

Da mesma forma, realizamos uma revisão para identificar todos os dados disponíveis sobre resistência a antibióticos, recolhidos entre Janeiro de 2010 e Julho de 2020, nas populações de pacientes neonatais, pediátricos e adultos nos Estados-Membros da UA. Foram consideradas taxas de prevalência de resistência a antibióticos para todas as combinações organismo-antibiótico, manifestações de doenças e tipos de espécimes, bem como dados recolhidos de vários ambientes, incluindo enfermarias clínicas, investigações de surtos e instalações de saúde individuais.

 

Todas as recomendações de tratamento dos STGs existentes e dados disponíveis sobre resistência a antibióticos foram compiladas e apresentadas a dois painéis de especialistas que desenvolveram as directrizes contidas no presente documento.

 

Em geral, houve uma grande escassez de dados disponíveis sobre a resistência aos antibióticos, o que impediu que esses mesmos dados fossem considerados durante o desenvolvimento das recomendações de tratamento antibiótico. No futuro, com uma base de evidência mais sólida, a prevalência e as tendências de resistência ao longo do tempo nas instalações, a nível regional e nacional devem ser consideradas no desenvolvimento de directrizes de tratamento.

 

Convocação de um Grupo de Desenvolvimento de Directrizes

 

Dois grupos de painel de especialistas foram formados para desenvolver recomendações de tratamento para as populações de pacientes adultos e recém-nascidos/pediátricos, respectivamente. Na selecção dos painelistas, procurámos alcançar um equilíbrio de género, incluir uma vasta gama de especialidades clínicas e profissões e assegurar que o grupo era representativo de cada região africana. Todos os membros do painel foram convidados a relatar quaisquer potenciais conflitos de interesse (COI), incluindo propriedade intelectual e laços financeiros com empresas farmacêuticas. Não foram identificados tais COIs.

 

O primeiro painel, composto por nove médicos, reuniu-se em Agosto de 2019 na sede da UA em Adis Abeba, Etiópia, para desenvolver recomendações de tratamento para as populações de pacientes adultos. Um painel posterior, composto por 19 especialistas, foi realizado via webinar virtual em Outubro de 2020 para desenvolver recomendações de tratamento para pacientes pediátricos. Cada painel revisou dados compilados de resistência a antibióticos e recomendações de tratamento dos STGs existentes, seleccionou as infecções bacterianas e síndromes para inclusão nas directrizes da primeira edição, e desenvolveu recomendações consensuais de tratamento. Após as reuniões iniciais, os membros do painel tiveram a oportunidade de rever as versões preliminares das directrizes e fornecer mais informações antes que as directrizes fossem liberadas para revisão externa. Os membros do painel também forneceram informações sobre as metodologias utilizadas para desenvolver estas directrizes e o protocolo descrito para actualizar continuamente estas directrizes.

 

Nossos painelistas especialistas e revisores externos estão listados aqui.